SETEMBRO DOURADO – A importância do diagnóstico precoce para o Câncer nas crianças e adolescentes

113 0
Graduação EM Medicina pela Universidade Anhanguera – Uniderp. Residência em Pediatria no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul; Residência em Cancerologia pediátrica no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Médica oncologista pediátrica do Hospital do Câncer de Franca e Pediatra da Santa Casa de Franca. Preceptora do curso de medicina da Unifacef.

Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer – INCA, estima-se 420 mil casos novos de câncer, sem considerar o câncer de pele não-melanoma, para cada ano do biênio 2018-2019. O câncer infanto-juvenil representa 3% dos casos, pressupõe-se que ocorrerão 12.500 casos novos de câncer em crianças e adolescentes, sendo 5.300 na região Sudeste. Na atualidade, julga-se que dois terços desses casos podem ser considerados curáveis se instituída a terapêutica adequada.

Enquanto a diminuição da exposição de fatores ambientais, como ao tabagismo, visa diminuir a incidência dos cânceres na faixa etária adulta, na pediatria sabe-se que estes fatores desempenham papel pequeno no desenvolvimento da doença. Assim sendo, não existem medidas primárias para impedir o desenvolvimento do câncer nessa faixa etária. A prevenção secundária, isto é, o diagnóstico precoce, é essencial.

As neoplasias malignas na infância possuem diferenças quanto aos locais primários, comportamentos clínicos e origens histológicas diferentes em relação aos cânceres no adulto. Os tumores malignos na infância crescem mais rapidamente e tornam-se mais invasivos que nos adultos, porém respondem melhor ao tratamento aumentando a chance de cura.

Leucemias, linfomas e tumores de sistema nervoso central são as patologias malignas mais comuns nessa faixa etária. No Brasil, o câncer se apresenta como segunda causa de morte entre crianças, adolescentes e adultos jovens, pois muitos pacientes são diagnosticados em estágios avançados da doença.

O pediatra tem papel primordial na suspeita clínica do câncer, deste modo os pais devem realizar acompanhamento regular de seus filhos para que possam ser rapidamente diagnosticados e encaminhados a Hospitais Oncológicos Infantis.

Visando a melhoria do diagnóstico precoce, a Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica em conjunto com a Sociedade Brasileira de Pediatria e o Instituto Nacional do Câncer instituíram o mês de setembro, como “Setembro Dourado” para alertar as famílias e profissionais de Saúde para os sinais e sintomas mais comuns de câncer infantil.

Na suspeita de algum dos sintomas acima, leve imediatamente seu filho ao pediatra.

Related Post